Descrição do Produto

A 25 de abril de 1974, nas «horas entusiásticas» de uma alvorada revolucionária aspergida a cravos, Natália Correia iniciou um diário, propondo-se «viver a festa e simultaneamente relatá-la.» Não Percas a Rosa é esse registo testemunhal das glórias e misérias que convulsionaram o país até 25 de novembro de 1975, mas também a exaltação visionária de uma Revolução ainda por fazer: a do Espírito, simbolizado na mística rosa branca.

Ilustrada com fotografias de época, captadas por José António Correia, e reproduções dos manuscritos originais, esta edição inclui vários textos inéditos e reúne, pela primeira vez, sob o título Ó Liberdade, Brancura do Relâmpago, as célebres crónicas que Natália escreveu para A Capital entre julho de 1974 e julho de 1975 (Crónicas Vagantes), bem como as que publicou em A Luta entre agosto de 1975 e março de 1976.

 

Na imprensa

«São textos de cariz político — mas é sempre um olhar onde sentimos a vigilância da poesia, do misticismo da escritora, da lucidez de quem questiona o que tantos dão por certo.»

***** João Morales, Time Out

 

«Natália nunca pediu licença para dizer o que quis. Isso a distinguia da intelligentsia bem-comportada.»

**** Eduardo Pitta, Sábado